IMPACTOS SOCIOECONÔMICOS DA AQUICULTURA NO BRASIL: ANÁLISE A PARTIR DA MATRIZ DE CONTABILIDADE SOCIAL

Manoel Xavier Pedroza Filho, Joaquim Bento de Souza Ferreira Filho, Marcos Antonio Gomes Pena Júnior

Resumo


Apesar de atualmente ser um setor emergente do agronegócio brasileiro a aquicultura ainda carece de estudos sobre seus efeitos em termos de indicadores socioeconômicos como valor agregado, PIB e empregos. Neste sentido, o presente artigo tem por objetivo analisar os impactos socioeconômicos da aquicultura brasileira a partir de uma Matriz de Contabilidade Social, baseada na construção de uma matriz insumo-produto específica para a aquicultura.

Os resultados indicam que os multiplicadores de produção das três atividades da aquicultura foram maiores do que o de outros setores pecuários. No entanto, os multiplicadores de PIB, renda e emprego apresentaram resultados inferiores comparado com as atividades de bovinocultura, suinocultura e avicultura. Embora a aquicultura tenha multiplicador de produção equivalente aos demais setores agropecuários, nota-se uma limitação em termos de geração de valor adicionado e emprego. Essa baixa capacidade de geração de valor está relacionada à elevada participação do consumo intermediário na estrutura de custos da aquicultura, bem como à elevada parcela da produção que é enviada diretamente ao consumo das famílias sem passar pela indústria processadora. Uma análise aprofundada da cadeia de comercialização desta atividade poderia auxiliar a sua estruturação, elevando assim sua capacidade de geração de valor adicionado e emprego.


Palavras-chave


Impactos socioeconômicos; Aquicultura; Brasil

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter