DINÂMICA E EXPANSÃO DA CANA-DE-AÇÚCAR E OUTRAS CULTURAS AGRÍCOLAS NA PARAÍBA: UMA ANÁLISE DOS IMPACTOS DOS GASES DE EFEITO ESTUFA

Wallysson Klebson de Medeiros Silva, Raphael Abrahao, Luiz Moreira Coelho Junior

Resumo


Este artigo analisou a dinâmica e expansão da cana-de-açúcar, abacaxi, feijão, mandioca, milho e outras culturas na Paraíba com enfoque nos impactos dos gases de efeito estufa, no período de 1990 a 2017. Aplicou-se o modelo shift-share para quantificar a produção agrícola do estado da Paraíba, observando os recortes geopolíticos. Também, efetuou-se uma regressão quantílica para verificar a influência da cana-de-açúcar nos valores dos gases de efeito estufa (CO2eq), entre 1990 a 2017. Os resultados mostraram que a decomposição do efeito área em efeitos escala e substituição das culturas da cana-de-açúcar e do abacaxi foram os que mais absorveram áreas, enquanto que o feijão foi o que mais cedeu áreas para as demais. Na decomposição nos Efeitos Área (EA), Rendimento (ER) e Localização Geográfica (ELG) observou-se que na Paraíba e nos dez municípios analisados ocorreu uma expansão heterogênea, sendo os ganhos de produtividade explicados pelo EA e o ELG, pois o ER evidenciou o baixo dinamismo agrícola. A aplicação da regressão quantílica mostrou-se significativa para um impacto positivo na área plantada e quantidade produzida e negativo na área colhida.

Palavras-chave


Bioenergia; Mudanças Climáticas; Shift-Share; Regressão quantílica

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter