AGRICULTURA FAMILIAR NO ESTADO DE SERGIPE: UMA LEITURA A PARTIR DOS DADOS DO CENSO AGROPECUÁRIO 2017

José Eloízio da Costa, Diana Mendonça de Carvalho

Resumo


O objetivo do presente artigo é realizar uma leitura geográfica da importância e das características socioeconômicas da agricultura familiar no Estado de Sergipe segundo os dados do Censo Agropecuário 2017, do IBGE. Para tanto, recorreu-se a pesquisa bibliográfica e a análise de indicadores e variáveis da mencionada pesquisa. Em linhas gerais, o trabalho destaca: 1) o domínio da agricultura familiar no número de estabelecimentos agropecuários sergipanos; 2) o perfil desses atores, como sendo de maioria parda, proprietários de pequenos lotes, idosos e gestores de suas unidades; 3) a baixa escolaridade; 4) a fragilidade do apoio da ATER; 5) o insignificante nível da organização; e 6) o baixo percentual de contratação de crédito. Apesar dos limites apresentados, o segmento familiar destaca-se na produção de algumas lavouras temporárias e na pecuária, especialmente na produção de leite. Também se nota um maior dinamismo fruto da proliferação de veículos no campo, a exemplo do uso da motocicleta como meio de transporte dominante. Em síntese, a agricultura familiar sergipana apresenta problemas estruturais, carecendo de políticas públicas de apoio à sua base produtiva e bem espacializadas, no sentido de contemplar o segmento em todo o território estadual.

Palavras-chave


Agricultura Familiar; Censo Agropecuário 2017; Políticas Públicas; Sergipe

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter