A eficiência das inovações tecnológicas no Brasil: Uma análise sobre a indústria de transformação

Phelipe André Matos Cruz, Márcia Jucá Teixeira Teixeira Diniz, André Luiz Ferreira e Silva, Marcelo Bentes Diniz

Resumo


Este artigo avalia os impactos de investimentos em inovação sobre a eficiência econômica da indústria de transformação no Brasil. Para tal análise, a taxa de participação, em termos da receita líquida, é a variável-chave das empresas que inovam em 23 setores selecionados. Os dados advêm da Pesquisa de Inovação Tecnológica do IBGE (PINTEC), de 1998 a 2011. Utiliza-se o Modelo de Fronteira Estocástica, que estima a eficiência produtiva das empresas, controlando a introdução de inovações. Os resultados apontaram Fabricação de produtos alimentícios; Fabricação de bebidas e Fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis como setores mais eficientes, pois estimularam sua receita líquida através da inovação. Fabricação de produtos diversos; Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos; Fabricação de outros equipamentos de transporte foram classificados como menos eficientes. Sinteticamente, a eficiência econômica dos setores melhor ranqueados se deveu ao relativo imediatismo do retorno financeiro das inovações incrementais.


Palavras-chave


Eficiência Econômica; Fronteira Estocástica; Inovação Tecnológica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter