O que determina a migração interestadual no Brasil?: um modelo espacial para o período 1980-2000

Wellington Ribeiro Justo, Raul da Mota Silveira Neto

Resumo


Fornece evidências a respeito dos determinantes da migração interestadual no Brasil através da incorporação de variáveis como a renda esperada e de variáveis sociais e naturais que afetam o bemestar das pessoas em um modelo que considera o papel da localização e das vizinhanças. Usa dados dos censos demográficos de 1980, 1991 e 2000. Os resultados apontam que os Estados nordestinos apresentaram taxa líquida de migração negativa ao longo de todo período analisado. Através da estimação de um modelo espacial em dados de painel, os resultados sugerem um papel importante na inclusão da variável renda esperada, explicando cerca de 40% da taxa líquida de migração. O efeito da variável renda esperada também se eleva quando o modelo incorpora outras variáveis importantes nos fluxos migratórios e quando é considerado o efeito espacial através da atratividade dos vizinhos. As variáveis incluídas no modelo para captar o efeito da atratividade local, seja social (renda esperada e Índice de Gini) ou natural (clima) apresentaram as conseqüências esperadas, estando de acordo com as hipóteses levantadas.

Palavras-chave


Determinantes da Migração. Modelo Espacial. Renda Esperada.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter