O consumo intermediário na agricultura: uma comparação entre agricultura familiar e não familiar no Brasil e nas regiões Sul e Nordeste

Marcelo Antonio Conterato, Sergio Schneider, Luciana Lobo Fernandes, Paulo José Libardoni

Resumo


o objetivo deste trabalho foi identificar o conjunto de despesas que forma os custos de manutenção e custeio das atividades agropecuárias, agrupar aquelas que compõem o consumo intermediário e identifi car o impacto deste em relação ao valor total da produção agropecuária. Constatou-se que o consumo intermediário representa, em termos médios brasileiros, praticamente 55,0 % do valor total da produção agropecuária não familiar e quase 30,0% da familiar. Se somarmos as despesas que não se enquadram no conceito de consumo intermediário, tais como arrendamentos, salários, armazenamento e transporte, entre outras de menor monta, os percentuais são ainda maiores. Em termos regionais, os dados indicaram que o consumo intermediário na agricultura não familiar da Região Sul representa 51,7% do valor total da produção agropecuária, percentual que se reduz a 34,7% para o universo da agricultura familiar. Na Região Nordeste, o impacto é diferenciado. Nesta, o consumo intermediário representa 57,3% do valor total da produção na agricultura não familiar e 16,5% na agricultura familiar, indicando diferenças signifi cativas tanto em termos geográfi cos quanto na comparação entre agricultura familiar e não familiar.

Palavras-chave


consumo intermediário, agricultura familiar, agricultura não familiar, região Sul, região Nordeste

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter