Agricultura familiar e mercados institucionais: o desenvolvimento como liberdade

Flávio Sacco dos Anjos, Cláudio Becker

Resumo


O artigo aborda a importância dos mercados institucionais para o fortalecimento da
agricultura familiar e para o desenvolvimento dos territórios rurais. Os autores consideram que os programas governamentais surgidos nesse âmbito representam uma linha de continuidade desde a criação, em 1995, do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF). Os mercados institucionais devem ser vistos como expressão das abordagens atuais que definem o desenvolvimento como expansão das liberdades substantivas. Esse é o caso de programas que asseguram a compra direta da produção para alimentar a populações do campo e da cidade, incluindo escolas, creches, asilos, etc. Tais programas devem ser aperfeiçoados, não obstante a importância que adquiriram do ponto de vista da inclusão social e da ampliação das oportunidades.

Palavras-chave


produção familiar, políticas públicas, territórios rurais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter