A qualidade do emprego rural nas regiões metropolitanas brasileiras em 2009: diferenças entre homens e mulheres

Nelly Maria Sansigolo Figueiredo, Bruna Angela Branchi, Taciana Leticia Boveloni

Resumo


Este artigo visa analisar a diferença da qualidade do emprego no meio rural entre homens e mulheres nas regiões metropolitanas (RM) brasileiras em 2009. Também busca investigar as diferenças da qualidade do emprego por tipo de rural, contrastando o rural das metrópoles com o das demais áreas rurais dos estados a que pertencem as RMs. Nesse aspecto, além das diferenças de gênero, espera-se que as condições específicas do rural metropolitano se reflitam sobre a qualidade do emprego rural, e em particular, sobre as oportunidades de trabalho e renda da mulher. Após uma discussão dos indicadores socioeconômicos da população estudada, são calculados índices da qualidade do emprego que sintetizam aspetos associados à formalidade, rendimentos e auxílios recebidos. São analisados os empregados rurais segundo sua atividade no trabalho principal, com base nos microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2009. Pelos resultados, a qualidade do emprego feminino é inferior ao do emprego masculino, especialmente no quesito da remuneração, e as diferenças por tipo de rural indicam que os empregados do rural não metropolitano, e de forma mais grave a mulher empregada nesse espaço, desfrutam de pior qualidade do emprego.


Palavras-chave


Gênero; Mercado de Trabalho; Rural Metropolitano.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter