O desempenho da indústria maranhense nos anos 2000: uma abordagem a partir da intensidade tecnológica de seu comércio exterior

Maria Rosivalda da Silva Pereira, Daniel Arruda Coronel

Resumo


O processo de desindustrialização brasileira vem sendo objeto de diversas discussões ao longo da última década em razão do comportamento da economia brasileira no período. No entanto, tais discussões se concentram em âmbito nacional, em sua comparação com outras economias, não se destacando como o fenômeno ocorre nas unidades federadas. Assim, traçouse, como objetivo deste trabalho, analisar a evolução da indústria maranhense nos anos 2000, com base nos coeficientes de abertura comercial do Estado e de seus fluxos de comércio exterior no período, identificando-se os principais produtos exportados e importados pelo Estado, bem como os destinos e origens desses produtos. Como resultados, encontrou-se que os fluxos de comércio exterior maranhenses são concentrados em produtos de média baixa intensidade tecnológica e em produtos não industriais. Em termos de importação, tem-se a predominância de produtos com baixa e média baixa intensidades. As relações comerciais revelaram um mercado não muito diversificado com poucos destinos e origens de produtos. Os coeficientes de exportação, apesar de terem valores baixos (próximos de zero) apresentam tendência de crescimento, e os coeficientes de penetração de importação se apresentam com índices mais altos e também com tendência de crescimento.

Palavras-chave


Comércio Exterior; Indústria; Maranhão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter