Análise da competição no mercado de distribuição de gasolina C na região Nordeste

Rosangela Aparecida Soares Fernandes, Marcelo José Braga

Resumo


Este artigo tem como objetivo avaliar a competição no mercado de distribuição de gasolina C na região Nordeste, no período de janeiro de 2002 a março de 2011. Para tal, utiliza como suporte teórico a Nova Organização Industrial Empírica (NOIE), a partir de um modelo estrutural desenvolvido por Bresnahan (1982) e Lau (1982). Para estimação das equações de demanda e da relação de oferta do modelo, foi utilizado o método dos Mínimos Quadrados em Dois Estágios (MQ2E), em razão da presença de variáveis explicativas endógenas. Os resultados indicam que as distribuidoras de gasolina C não agem como tomadoras de preços. No outro extremo, a hipótese de conluio perfeito entre elas também foi rejeitada. Portanto, as distribuidoras de gasolina C, na região Nordeste, não atuam de forma colusiva e também não agem como tomadoras de preços. Existe uma clara indicação de que o grau de competição no mercado de distribuição de gasolina C do Nordeste está em um nível intermediário entre os extremos competição perfeita e colusão. Adicionalmente, a hipótese de oligopólio de Cournot não pôde ser rejeitada.

Palavras-chave


Conduta empresarial; Gasolina C; Distribuidoras; Nordeste.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter