Comércio exterior da região Nordeste na esteira do “Efeito China”

Maria Cristina Pereira de Melo

Resumo


O artigo analisa quantitativamente e qualitativamente o comércio exterior brasileiro e nordestino à luz do movimento da corrente de comércio efetuada entre estes e a China e avalia as trocas através de indicadores de concentração das pautas e de intercâmbio comercial intersetorial. A relação bilateral Brasil-China alcançou níveis recordes em 2010 e consolidou esse país como o maior parceiro comercial brasileiro com forte participação de produtos básicos na pauta exportadora, cujos produtos também são os mais relevantes para a pauta regional. A China, nos dias atuais, é o segundo maior comprador da região e adquire essencialmente do Maranhão e Bahia os produtos: minério de ferro, pasta de madeira e soja. Os principais compradores dos produtos chineses são Bahia, Ceará e Pernambuco, sendo estes, sobretudo, máquinas, laminados de ferro e tecidos.

Palavras-chave


Comércio Exterior; China; Brasil; Região Nordeste.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter