OBRAS PÚBLICAS NO CONTEXTO REGIONAL: SECAS E GASTOS NO NORDESTE BRASILEIRO (1860-1940)

Renato Leite Marcondes, Fernanda Massarotto Dandaro

Resumo


Uma maneira de avaliar esse combate às secas é analisar os gastos públicos da União nas províncias afetadas e se houve despesas específicas contra a seca. Nessa pesquisa procuramos responder as seguintes questões: Como se distribuía os gastos totais do Ministério de Obras Públicas (MOP)? Qual a participação dos gastos com obras em relação ao total do ministério? Existe uma relação entre as secas no Nordeste e os gastos desse Ministério? Em que consistiam os gastos das obras contra as secas e onde foram realizados? Analisamos os gastos com obras públicas por províncias durante os anos de 1860 a 1940. Os dados quantitativos foram coletados nos balanços anuais da receita e despesa do Ministério de Obras Públicas, desde 1860 até 1914. Uma análise mais qualitativa dos gastos foi baseada nos relatórios do MOP e nos relatórios da Inspetoria de Obras Contra as Secas. Até 1914, os gastos específicos com o Nordeste do MOP, não se mostraram crescentes, mas apontaram uma relação com períodos de seca. Os gastos relevantes durante essas secas não foram com obras, mas sim com o socorro aos flagelados.

Palavras-chave


Estiagem; Obras contra as secas; Nordeste; Centralização de gastos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter