DESIGUALDADE DE RENDA E EFICIÊNCIA DA PRODUÇÃO DE SAÚDE NO ESTADO DA BAHIA

Maria Izabel dos Santos, Gervásio Ferreira dos Santos

Resumo


O objetivo desse trabalho é estimar a eficiência técnica da produção de saúde e sua respectiva relação com o nível de desigualdade de renda, tomando como estudo empírico os municípios do estado da Bahia, utilizando o instrumental de análise de fronteira estocástica em painel. O trabalho baseou-se nas formulações teóricas da Economia da Saúde para investigar os determinantes da saúde e da ineficiência proveniente da sua produção. No entanto, o trabalho analisa uma relação específica presente na literatura, entre desigualdade de renda e eficiência na produção de saúde. Para atingir o objetivo proposto utilizou-se a abordagem de fronteira estocástica de produção aplicada a um banco de dados em painel contendo todos municípios do estado da Bahia. Os resultados mostraram que a eficiência da produção de saúde se manteve basicamente constante entre 2005 e 2009, entretanto em 2010 atingiu o seu menor índice na grande maioria dos municípios avaliados. Os municípios mais populosos, com maior renda per capita e que investiram mais recursos públicos em saúde foram mais eficientes no último ano. A desigualdade de renda, não foi estatisticamente significante, indicando que esta variável não é um fator determinante para explicar os diferentes níveis de eficiência de saúde a nível municipal.

Palavras-chave


Saúde pública; Gasto público; Fronteira estocástica; Heterogeneidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter