Radiografando as disparidades regionais de renda no Brasil: evidências a partir de regressões quantílicas

Raul da Mota Silveira Neto, Ana Katarina Campelo

Resumo


A partir da utilização da técnica de regressões quantílicas, o trabalho fornece evidências sobre as
disparidades regionais de renda do pessoal ocupado do Brasil metropolitano por quantis da distribuição de renda dos indivíduos considerados. Os resultados, desfavoráveis à região nordestina, apontam que há grandes variações das desigualdades regionais por quantis de renda, sendo estas maiores para os quantis inferiores (mais pobres) e menores para os quantis superiores (mais ricos), mesmo após controles por atributos pessoais e de ocupação. Ou seja, as disparidades regionais afetam, sobretudo, os mais pobres das regiões metropolitanas do Nordeste brasileiro. A partir da determinação do perfil do migrante inter-regional, os resultados também apontam que as desigualdades regionais tendem a aumentar quando são considerados indivíduos mais pobres jovens (menos de 25 anos) e mais velhos (acima de 35 anos) com pouca scolaridade
para todos os quantis, sendo praticamente inexistentes para os mais escolarizados nos quantis
mais elevados. Tais resultados adicionais são extremamente consistentes com o perfil do migrante intermetropolitano.


Palavras-chave


Desigualdades Regionais, Regressão Quantílica, Problema Regional.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter