Voltar

Dica de Sustentabilidade na Agropecuária - ESG no Campo

Nossa dica de sustentabilidade de hoje é para o produtor ou investidor rural ficar ligado no tema “ESG”.

Trata-se de um termo em inglês (Environmental, Social and Governance), cunhado no meio internacional, e que tem seu correspondente em português na sigla ASG (Ambiental, Social e Governança). Foi criado para viabilizar a medição da sustentabilidade e dos impactos sociais de investimentos, empresas e negócios, seja no campo ou na cidade.

Esse novo conceito parte da premissa de que os investidores tendem cada vez mais a apostar em empresas ou iniciativas que estão dispostas a aderir a uma maior valorização da sustentabilidade e do impacto social positivo nos negócios e/ou atividades que realizam. Isso decorre de um quadro de agravamento das questões socioambientais que está ocorrendo no momento em que estamos vivendo.

Segundo o Relatório de Riscos Globais do Fórum Econômico Mundial, nos últimos anos, os principais fatores de risco identificados por executivos são cada vez mais de natureza ambiental ou social, tais como: eventos climáticos extremos, desastres naturais, escassez de água, entre outros. Esse cenário, associado a um mercado mais consciente e exigente, está moldando as estratégias corporativas e, com isso, o mercado de investimentos sustentáveis aumentou fortemente na última década, alcançando valores estimados de mais de US$ 700 bilhões em ativos.

Diante disso, recomenda-se ao produtor/investidor rural que busque conhecer cada vez mais sobre a temática do ESG no meio rural e que procure se adiantar, preparando os negócios rurais para atender a uma crescente demanda por informações e produtos que estejam sintonizados com esse conceito.

Rastreabilidade da produção, manejo ecológico do solo, uso eficiente da água, atendimento à legislação ambiental, em especial o Código Florestal, produção orgânica, agricultura regenerativa, agricultura sustentável, utilização de energias renováveis no campo, certificação da produção, reflorestamento, respeito a direitos humanos, sociais e trabalhistas, etc são alguns dentre vários assuntos relacionados à sustentabilidade da produção agropecuária e, portanto, à temática ESG ou ASG.

O Banco do Nordeste dispõe de linhas de financiamento, como o FNE Verde, o FNE Sol e as linhas ambientais do Pronaf (Agroecologia, Floresta, Semiárido e Bioeconomia), que podem ser importantes ferramentas para auxiliar produtores e empresas rurais nessa preparação. Vale a pena conferir!

Seguem algumas sugestões de fontes de informação sobre ESG no meio rural:

Artigo Um Futuro de Investimentos Sustentáveis – Revista Globo Rural 

Artigo Como o ESG está impactando o agronegócio – Dinheiro Rural 

Artigo Práticas sustentáveis se tornam estratégicas para os negócios – Diário do Comércio 

Artigo - Rastreabilidade pode ser decisiva na valorização de negócios sustentáveis - agrourbano.

Autor: Mario Eduardo Fraga da Silva é Engenheiro Agrônomo, Especialista em Avaliação Ambiental de Projetos, Mestre em Ecologia e praticante da Permacultura. É funcionário de carreira do Banco do Nordeste onde atua como Gerente de Produtos e Serviços na Célula de Meio Ambiente, Inovação e Responsabilidade Socioambiental, inserida no Ambiente de Políticas de Desenvolvimento. Como atividade paralela ministra cursos de Permacultura e de Agrofloresta, sendo membro fundador e atual Presidente do Instituto de Permacultura e Ecovilas do Ceará – IPC.