O novo padrão de crescimento no Nordeste semiárido

Cícero Péricles de Oliveira Carvalho

Resumo


Este artigo procura demonstrar como os sinais do novo padrão de crescimento regional nordestino: taxas maiores de crescimento, ampliação das políticas públicas permanentes de educação e saúde pública; presença capilarizada dos programas de transferência de renda, aumento da renda dos segmentos mais pobres, elevação do consumo, diminuição da pobreza extrema e das desigualdades, entre os anos 2000-2012, que resulta de uma combinação entre um mais forte desempenho econômico e a melhorias do quadro social, influem sobre a região sertaneja, criando um ambiente social e econômico mais resistente ao fenômeno da estiagem prolongada. O semiárido, apesar de suas especificidades, como sua pobreza ainda mais forte que a média regional e, principalmente, os seus limitados recursos hídricos, é parte constitutiva do mesmo território nordestino, e os impactos sofridos pela região são acompanhados de forma regular em toda a sua extensão pelas relações econômicas e políticas estreitas existentes entre as sub-regiões: Mata Litorânea, Agreste Sertão. As mudanças regionais, ainda que apresentem intensidades distintas nas suas sub-regiões, ocorrem de forma simultânea em todas elas, produzindo um Nordeste mais dinâmico e, principalmente, um Sertão mais preparado para o convívio com a seca prolongada.

Palavras-chave


Nordeste; Semiárido; Economia regional

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter