Trajetórias tecnológicas na agricultura: crescimento sustentável em um ambiente schumpeteriano

Leonardo Andrade Rocha, Napiê Galvê Araújo Silva, Carlos Alano Soares de Almeida, Denison Murilo de Oliveira, Rachel Silva Almeida

Resumo


Analisa os impactos das inovações na agricultura sobre o crescimento dos países. Para testar a afirmativa, construiu-se um modelo de crescimento schumpeteriano com inovações de melhoria na transformação dos produtos agrícolas. Parte da hipótese de que as condições de equilíbrio no setor de insumos intermediários, o crescimento será sustentável se a economia permutar para as atividades intensivas em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) inovadora. Isto destaca a importância da biotecnologia para alcançar tais resultados. Para confirmar a hipótese, estima um modelo de regressão com dados em painel e variáveis instrumentais (VI) relacionado ao log – Produto Interno Bruto (PIB) per capita com o grau de proximidade com a fronteira, medido pela razão entre os registros de patentes em biotecnologia, além de algumas variáveis controle. Os resultados do modelo mostram que as economias situadas próximas da fronteira tecnológica apresentam taxas de crescimento superior em relação às economias mais afastadas. Os testes de posto de Kleibergen e Paap e a estatística J de Hansen revelam que os instrumentos são relevantes e as estimativas por variáveis instrumentais são mais consistentes em relação ao método tradicional de efeitos fixos. Na composição do método de efeitos aleatórios (VI), os estimadores de Mínimos Quadrados em 2-Estágios com Componente de Erro de Baltagi e Liu (2009) ou (MQ2ECE) − apresentam ganhos significativos de eficiência, em relação aos tradicionais Mínimos Quadrados Generalizados em 2 Estágios ou MQG2E. Os resultados sugerem a presente metodologia para aplicações em outros setores da economia.


Palavras-chave


Inovação. Desenvolvimento. Fronteira Tecnológica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter