Crescimento econômico e convergência de renda nos estados brasileiros: uma análise a partir dos grandes setores da economia

Airton Lopes Amorim, Paulo Roberto Scalco, Marcelo José Braga

Resumo


O estudo verifica se as funções de produção dos modelos de crescimento de Solow simples e aumentado explicariam o padrão de renda per capita dos Estados brasileiros de uma forma agregada e para os setores Agropecuária, Indústria e Serviços, no período de 1980 a 2000. Posteriormente, verifica a existência e a velocidade de convergência para os Estados brasileiros e para os setores nesse mesmo período. O modelo parte de uma função de produção neoclássica padrão, em que evidencia a hipótese de convergência tanto de forma geral como para os setores. Por meio dessa desagregação, verifica a adequação da Função de Produção Neoclássica de Crescimento para descrever a diferença no PIB per capita dos diversos setores da economia, para os 27 Estados brasileiros, e o padrão de convergência desses setores. O modelo que mais se ajustou aos dados foi o de crescimento de Solow aumentado, embora pareça que a função do tipo Cobb-Douglas não seja apropriada para descrever a produção nos setores. Verifica a existência de convergência absoluta para o caso geral e para os setores Indústria e Serviços. No caso da convergência condicional, apenas o setor Indústria apresenta tendência à convergência.

Palavras-chave


Modelo de crescimento; Convergência absoluta e condicional; Crescimento econômico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter