Desafios para a constituição de um arranjo produtivo: o caso da indústria de rochas ornamentais na Bahia

Vera Spinola, Hamilton de Moura Ferreira Júnior

Resumo


Tem por ponto de partida identificar um segmento industrial na Bahia, formado por pequenas empresas, em que houvesse uma vantagem comparativa natural ou construída localmente. Seleciona o setor de rochas ornamentais, representado pelos mármores e granitos, em função da presença de matéria prima diferenciada, da expansão da demanda interna e externa por seus produtos, do crescente número de pequenas empresas no ramo e da sua capacidade de gerar empregos não agrícolas nas zonas rurais do semi-árido. O objetivo do trabalho é traçar um perfil da aglomeração de micro empresas especializadas no desdobramento de mármore bege estabelecidas espontaneamente em Jacobina e Ourolândia, região noroeste do Estado, a fim de avaliar se existem condições para a formação de um arranjo produtivo local. Os dados empíricos, coletados diretamente nas empresas, foram avaliados à luz do referencial formulado por Cassiolato, Lastres, Szapiro (2000) sobre as condições necessárias à formação de um arranjo produtivo local. Apresenta os pontos fortes e fracos encontrados localmente, além das ameaças e oportunidades de mercado para seus produtos.

Palavras-chave


Arranjo Produtivo Local; Aglomerados; Desenvolvimento Local; Rochas Ornamentais; Mármore Bege; Bege Bahia; Bahia - semiárido; Região Nordeste.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter