Impacto das políticas públicas sobre a produtividade da indústria de transformação do Nordeste

Flávio Ataliba Barreto, Emerson Luís Lemos Marinho, Sérgio Aquino de Souza

Resumo


Este artigo busca investigar o impacto de políticas públicas sobre a taxa de crescimento da produtividadedo trabalho e da produtividade total dosfatores na indústria de transformação nordestina,utilizando a metodologia de contabilidade do crescimento econômico desenvolvida por Solow (1957). São realizados dois conjuntos de regressões. No primeiro toma-se a média das variáveis de incentivo fiscal e de protecionismo no período de 1985 a 1995 em cada gênero da indústria de transformação e conclui-se que o Fundo de Investimento do Nordeste (FINOR) não teve influência na taxa de crescimento da produtividade do trabalho e na produtividade
total dos fatores (TFP). Por outro lado, a tarifa média de importação mostrou-se significante
e negativamente correlacionada com ambas as taxas. No segundo conjunto de regressões utiliza-se dados de 1995 dos incentivos creditícios e do número de anos de estudo completados pelos trabalhadores em cada gênero da indústria de transformação nordestina. Mostra-se que a influência do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) na produtividade é inconclusiva e que dos indicadores de educação, apenas a proporção de empregados ligados à produção que possuíam segundo grau completo apresentou coeficiente significante e positivamente correlacionado com a produtividade total dos fatores.


Palavras-chave


Produtividade; Políticas Públicas; Indústria Nordestina.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter