Utilize este identificador para referenciar este registo: s1dspp01.dmz.bnb:8443/s482-dspace/handle/123456789/1046
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorMENDES JÚNIOR, Biágio de Oliveira-
dc.date.accessioned2022-01-27T12:57:22Z-
dc.date.available2022-01-27T12:57:22Z-
dc.date.issued2021-12-
dc.identifier.citationMENDES JÚNIOR, Biágio de Oliveira. Comércio varejista e atacadista: desempenho econômico do Brasil, Ceará, Pernambuco e Bahia em 2021 e perspectivas. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, ano 6, n.202, dez. 2021. (Caderno Setorial ETENE)pt_BR
dc.identifier.uris1dspp01.dmz.bnb:8443/s482-dspace/handle/123456789/1046-
dc.description.abstractA partir de julho/2021, o comércio varejista começou a declinar sua evolução, terminando o mês de setembro/2021 com menores taxas de crescimento para Ceará (0,4%), Brasil e Bahia (em torno de 3,9%) e Pernambuco (6,5%). A explicação é de que a aceleração da inflação corroeu a renda e por consequência, o consumo das famílias. O Estado de maior predominância no comércio atacadista no Nordeste foi o Maranhão, em 2019. Para o comércio varejista ampliado, estimam-se crescimento de 5,9% em 2021 e 3,2% em 2022. De acordo com pesquisa da associação de atacadistas, 80,3% dos pes quisados disseram acreditar que em 2021, esperam obter aumento no faturamento e 73,2% preveem que o volume de unidades vendidas será maiorpt_BR
dc.publisherBanco do Nordeste do Brasilpt_BR
dc.relation.ispartofseriesCaderno Setorial Etene;N.202-
dc.subjectEconomiapt_BR
dc.subjectNordestept_BR
dc.subjectFaturamentopt_BR
dc.subjectCovid-19pt_BR
dc.titleComércio varejista e atacadista: desempenho econômico do Brasil, Ceará, Pernambuco e Bahia em 2021 e perspectivaspt_BR
dc.typeArticlept_BR
Aparece nas colecções:Caderno Setorial Etene

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2021_CDS_202.pdf307.01 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.