Voltar Açaí se desenvolve com crédito do BNB em São Cristóvão

Açaí se desenvolve com crédito do BNB em São Cristóvão
O açaí é beneficiado sem uso de aditivos químicos e gera alguns produtos para o mercado
Desenvolvimento Territorial Aracaju (SE), 13/09/2023

Há doze anos, o produtor Alex Ferreira deixou a cidade de Belém (PA) para morar em uma propriedade rural no povoado Nova Conquista, em São Cristóvão, na região metropolitana de Aracaju. Trouxe na mala o conhecimento sobre o plantio de um fruto muito apreciado na região Norte, que se tornou popular em Sergipe: o açaí. Com crédito do Banco do Nordeste (BNB), ele conta com mais de mil pés cultivados e sonho de expandir muito mais.

De forma pioneira, o produtor conseguiu dar viabilidade à cultura do açaí no estado, com adaptação às condições locais de solo e clima. Na pequena agroindústria, o fruto é beneficiado sem uso de aditivos químicos e gera alguns produtos para o mercado. O principal deles é a polpa do açaí puro e concentrado, destinada à venda direta para moradores da Grande Aracaju, pelas redes sociais. Também são produzidos o licor e o café – este último com aproveitamento do caroço.

“O café do açaí é um produto bem aceito no mercado, porque tem um excelente sabor e é uma bebida eficaz no combate a algumas doenças, como a diabetes. Estudos comprovam que o consumo ajuda a regular as taxas de glicemia e pressão arterial”, explica.

Para ampliar o beneficiamento do açaí, o produtor assinou contrato de crédito com o Banco do Nordeste. Com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), o investimento foi destinado à construção de um galpão voltado principalmente à produção do café. “Como trabalho com uma cultura relativamente incerta, o crédito ajudou a agilizar o processo, antecipando etapas e contribuindo para alavancar a produtividade”, conta Alex.

O gerente Carlos Virgílio Holanda, da agência do BNB Aracaju Siqueira Campos, destaca a relevância do financiamento. “Por meio da linha de crédito Pronaf Mais Alimentos, o agricultor familiar conseguiu dar início à expansão da produção no terreno de 2,5 hectares. O açaí garante uma renda significativa, porque a polpa do fruto e os subprodutos têm muito valor agregado”, reforça o gerente.

O trabalho chamou atenção da prefeitura de Indiaroba, no sul do estado, que adquiriu centenas de mudas para distribuição entre pequenos produtores rurais do município. Hoje a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário do Estado de Sergipe (Emdagro) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) fazem estudos na propriedade rural, com objetivo de disseminar a cultura no estado.

Segundo o agricultor, o ideal é aprender a técnica correta e ter paciência para colher os resultados. “Faço a plantação de maneira escalonada e estou iniciando a terceira safra. Cerca de 30 por cento do que plantei já foi colhido, ou seja, mais de duas toneladas de açaí. Quando todos os pés estiverem produzindo, a estimativa é alcançar um total de seis a oito toneladas”. 

TAGS
fne sergipe açaí
Notícias Relacionadas